Quando eu descobri que estava amando

E então, virou amor. 

O que antes era uma convivência quase que forçada e um relacionamento um pouco conturbado, se tornou cumplicidade. É engraçado pensar, hoje, como não conseguíamos ficar sozinhos por muito tempo. Tínhamos necessidade de ter alguém do lado, fosse um conhecido contando um caso engraçado, ou com uma amiga, dividindo um drink colorido em um bar com som alto. Muitas vezes, por pura resistência em nos entregarmos, embarcamos em situações terríveis. Hoje, damos risada ao lembrar daquela balada cheia de tintas coloridas, ou de quando eu cheguei naquela festa de aniversário e só conseguia pensar na minha cama.

Demorou, eu sei, mas depois de aceitar minha própria condição, me entreguei. Percebi que era amor quando comecei a achar que o tempo que passávamos juntos era pouco. Diferentemente do que pensava, não senti borboletas no estômago e meu mundo não ganhou uma tonalidade cor-de-rosa, não. Mas preciso confessar que me senti feliz de um jeito que nunca tinha me sentido, antes. 
Dividíamos o mesmo gosto por música brasileira, concordávamos sobre as bandas inglesas de post punk e também adorávamos ouvir Radiohead no máximo volume possível. Quando me dei conta, tomávamos chá de camomila no fim da noite, dividíamos uma cerveja escura enquanto assistíamos Black Mirror, descobríamos novos cafés favoritos por SP e já fazíamos planos modestos e aconchegantes para o fim de semana. 

Não sabíamos o que viria, mas sabíamos que estaríamos juntos. 
E isso não só era aceito com sorrisos, como era realmente bom. 

Logo, cheguei naquele estágio da paixão em que comecei a pensar que era a pessoa mais linda que já conheci na vida. Quando reparei em seus olhos, me senti estranhamente feliz ao ver meu reflexo neles. Me perguntei há quanto tempo aquilo não acontecia e por que só naquele momento eu estava sentindo tudo aquilo Meu sorriso foi involuntário, quando dei por mim. 

Era amor de verdade. 

O começo do nosso relacionamento foi meio esquisito, eu sei, mas hoje, nossa relação é leve, gostosa, sem cobranças e sem amarras. Sem rótulos, sem satisfações, sem medos ou inseguranças. Hoje, agradeço todos os dias por ter tido a chance de conhecer, entender e, principalmente, amar alguém que eu sei que estará comigo em qualquer situação. Por mais clichê ou romântico que isso possa parecer, hoje consigo dizer que amar alguém é bom.

E quando você consegue perceber que o amor da sua vida, é você mesma, amar é ainda melhor. 

4 comentários