Social Media Icons

slide code

Photo

Michele
Michele, 26 anos, ex-escritora de fanfic e agora escritora de livro de verdade.

mais?

follow mih

social media icons 2

Search

categoria 1

amor

categoria 2

lista

categoria 3

pessoal

post fresquinho na sua caixa de entrada

Home is where the heart is

El Camiño. 

Pouca coisa tinha mudado desde a última vez em que repeti aquela cena. Talvez minhas vontades. Talvez meu endereço. Talvez minhas ideologias. Vai saber. 

Só sei que o principal continuava igualzinho. 
Intacto, eu diria. 

Me senti fracassada ao mesmo tempo em que me sentia viva. Entorpecida pelo cheiro de amaciante misturado ao cheiro de cigarro. Não sabia se sorria ou se chorava. Se abraçava o momento ou se pedia para voltar. 


Em meio aos meus milhares de questionamentos, paradoxalmente, eu me sentia em casa. Mesmo em um momento em que meu endereço é bem diferente daquele em que vivi nos últimos 22 anos. 

Era domingo. Um domingo ainda mais triste que os habituais. 
A segunda-feira não me traria só a rotina de volta. Me traria de volta pra casa. 

Casa. 

Sempre foi muito difícil eu dizer que me sentia em casa. Nos últimos anos, não me sentia assim em lugar algum. Pensei que tinha conquistado isso há algumas semanas, quando finalmente me mudei para o apartamento. 

Ledo engano. 
No domingo eu aprendi que casa

é onde fica o coração. 

_____________________________________________________________________________________________________________________

Comentários

  1. adorei o texto.
    no meu caso fica a mias de 1600km de distancia :(
    beijos

    http://entrevereviver.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Se pudesse dava um abraço! Sei muito bem como é isso, meu primeiro ano fora de casa foi terrível. Nem gosto de escrever sobre minha experiência porque fico super deprê, sabe? Meu sonho era independência, mas descobri que sair da casa dos pais não era sinônimo disso não e tinha mais coisa embutida do que eu pensava. Força aí <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa experiência é bem agridoce, né?
      Obrigada, Bessie! ♥

      Excluir
    2. Essa experiência é bem agridoce, né?
      Obrigada, Bessie! ♥

      Excluir
  3. Tem uma música do Rebelde que eu lembro mto qdo penso nessa questão. Lembro qdo fui passar um ano fora de casa, sempre pensava nela: Tras de Mi. (https://www.youtube.com/watch?v=pE1h2mM9MFE) Foi o começo da vida adulta pra mim...é bittersweet o começo.

    ResponderExcluir
  4. Puto texto! As vezes morro de vontade de me mudar e morar sozinha pelo mesmo motivo que você foi, e muita gente me fala o que você descreveu sentir, mas eu sempre penso que comigo vai ser diferente... Porém, lendo isso agora eu senti medo de dar esse passo e me arrepender, e acho que ainda tô nova pra me preocupar com isso.
    Vou tentar relevar mais um pouco as coisas que incomodam e aproveitar mais enquanto tô lá e tenho minha maezinha por perto!
    Mas força, Mih! Uma hora isso tem que passar né? Certas coisas por mais que doam, depois a gente entende que era necessário. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Ba. É um mal necessário e tuuudo, todo sentimento, etc, faz sentido depois. E a vida é isso, né? :) obrigada pelas palavras ^_^

      Excluir
  5. Fazem 5 anos que moro longe de casa e agora estou até em outro país e mesmo nunca tendo morado em uma casa completamente sozinha muitas vezes rodeada de pessoas um vazio pequenininho surge no peito, mas é nessa hora também que vemos o quanto podemos ser forte. Tudo nessa vida é questão de foco no objetivo e fé que tudo vai dar certo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Gi. A gente sabe o porquê de tudo isso - e é o que nos dá força. Obrigada ♥

      Excluir

Postar um comentário

os mais lidos da semana

Anticoncepcional para quem tem enxaqueca
Bom, não é novidade para ninguém que eu sou uma enxaquecosa . As minhas crises são bem tensas e até…
Dossiê da Enxaqueca
Se tem um assunto no qual eu sou verdadeira expert, é Enxaqueca . Eu já fui a diferentes neurologist…
Sobre a romantização do sofrimento como inspiração e sobre minha leveza
O ano era 2015. Ou 2016. Talvez 2017? Mas, em um desses três anos, já vivendo em São Paulo e vivend…