14/09/15

Sobre interpretar sinais

Há umas três semanas que esse assunto (sinais que o universo envia) anda pautando minhas reflexões sobre a vida que, na maioria das vezes, são feitas no chuveiro ao mesmo tempo em que a água tira o dia do meu corpo. Há umas três semanas eu reassisti ao filme I Origins (é espetacular, faça um favor para si mesmo e assista!) e ele fala, um pouco, sobre essa coisa de sinais que o universo te envia as vezes. No caso de I Origins, o sinal são as sequências numéricas que levam Ian para os olhos da Sofi. Revi esse filme com um amigo, pelo WhatsApp, e brinquei que, a partir dali, começaria a prestar atenção em algumas sequências numéricas ou em possíveis sinais que poderiam surgir.


Antes de continuar o texto, acho importante ressaltar uma coisa: tenho muitas crenças. Acredito demais em energias, em lei da atração, em lei do retorno, mas não tenho religião. Misturo minhas próprias convicções ao espiritismo, ao catolicismo e acredito, principalmente, no bem e no poder que nossas ações podem ter. Bem, voltando, por esses dias, após dizer que passaria a ficar mais atento aos sinais, me deparei com esse texto e identifiquei ele, também, como um possível sinal. Já falei incansavelmente nesse blog que Comer, Rezar, Amar é um dos livros que mais me fizeram bem e, consequentemente, gosto muito da autora. O textinho é incrível e essa parte, em especial, me chamou a atenção. 

"Mas tem uma coisa a se fazer quando você está perdido: você deve procurar incansavelmente por pistas. E mesmo que essas pistas sejam falhas, estranhas ou sem sentido, você deve segui-las. Porque honestamente, você já está totalmente perdido e não tem nada a perder."


É engraçado pensar sobre coincidências, principalmente se você não acredita nelas. Mais engraçado é pensar nelas como pistas do que quer que sejam. Esses dias, o filme About Time começou a pipocar em minhas redes sociais. Uma pessoa de perfil A postou. No outro, pessoa de perfil B. Um dia, fui stalkear um perfil de uma pessoa que achei interessante e o vi o filme nos likes recentes. No outro, estava como indicação em um blog. Decidi interpretar como um sinal para assistir ao filme e, bem, preciso comentar que o vi em um momento importantíssimo e algumas lições do filme foram reconfortantes. Parecia que eu estava ouvindo o que eu realmente precisava, sabe?


Eu acho essas coisas sensacionais. Porque se pararmos para pensar, muitas coisas de anos atrás, totalmente aleatórias, fazem sentido hoje. Eu tenho, ao menos, cinco fatos que me assustam ao pensar que, lá atrás, eu possa ter recebido uma espécie de spoiler alert do que aconteceria hoje. E isso é incrível, principalmente se você acredita nessas coisas. Você já viveu situações do tipo, se lembrar de algo completamente aleatório (como ter prestado atenção em uma pessoa, em uma foto em grupo, não procurar nome nem nada, conhecer essa pessoa anos mais tarde e ainda se lembrar de que olhou justamente para ela, na foto, em um dia completamente comum?). É bizarro. E é incrível.

Esse textão aleatório foi só para dizer que, ás vezes, o universo nos manda alguns sinais e nos avisa das coisas que ainda vão acontecer. Independente da sua crença, ou interpretação, ele envia. Ele é muito louco.

E já que estamos perdidos, mesmo, por que não tentar interpretá-los?

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter // Facebook // Instagram // Grupo do Blog // Snap: mihbroccoli

2 comentários:

  1. Oiii Michele! Eu acho que muito do que vivemos e' porque nos deixamos levar pelas coincidencias. Nao e' incrivel poder ser surpreendida? Acredito mesmo que temos que nos deixar fluir.. independente dos planos e pra onde queremos (ou nao) ir. Adorei o teu post. Beijinhos

    http://www.verdadeescrita.com/a-sociedade-conectada/

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, Rebeca! (:
    Acho que tudo acontece com um propósito - mesmo que a gente só o entenda anos depois.

    Beijos! :)

    ResponderExcluir

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.