30/08/15

Cinco lições de vida para aprender com RuPaul's Drag Race


Não lembro quando foi a primeira vez em que ouvi falar de RuPaul's Drag Race na vida, mas lembro de sempre ver a opção no meio dos programas da Netflix. Sempre passei direto, embora o nome me deixasse curiosa. Foi por causa de uma blogagem coletiva do Rotaroots que decidi começar a série e entender o que era o lipsync for your life, shantay you stay e a famosíssima Mama Ru. E foi amor forte, verdadeiro e duradouro. Vi a primeira e a segunda temporada sozinha, na terceira minha irmã viu comigo e a quarta e a quinta eu vejo com minha irmã e minha mãe. Somos apaixonadas pelas drags e pelo reality show mais glamuroso da atualidade. Mas não é só de plumas e paetês que RuPaul é resumido. O reality tem lições de vida valiosíssimas. Sim, gente! E é nessa vibe de tirar lições de absolutamente tudo que vejo, que fiz esse post. 

5- Ser mulher é maravilhoso

As queens realmente sabem o valor de ser mulher. Elas entendem a importância de um salto e como se vestir está ligado a nossa autoestima e etc. Assistir ao reality é o mesmo que levar injeções de ânimo e satisfação apenas por ser mulher. As queens se inspiram em nós apenas por sermos nós - e isso é lindo.


4- O primeiro passo para o sucesso é se aceitar

Alguns episódios são mais tristes porque as queens contam algumas de suas histórias. E todo mundo tem história triste. Uma das lições mais importantes que aprendemos com RuPaul é que se aceitar está diretamente ligado a sua felicidade. Não existe maneira de ser feliz sem se amar, sem gostar do que vê no espelho e sem fazer o que ama. É impossível ser feliz sem aceitar quem você é. E as histórias que conhecemos em RPDR mostram isso pra gente.


3- Na maioria das vezes, seu sucesso está ligado a sua performance

No final de cada episódio, a eliminação é decidida pela performance das queens que foram mal no desafio. A permanência delas, no programa, depende do seu lipsync. Muitas vezes, na vida,  é assim também: as coisas mais importantes e difíceis são conquistadas através da performance e da nossa garra. A diferença é que não batemos cabelo e nem tiramos a peruca, infelizmente. 


2- Você pode cair, mas pode cair fabulosamente

Que a gente cai algumas vezes isso é fato, mas falo de forma metafórica e não literal, como nesse post. Basta sabermos como cair e dar à queda a importância e relevância necessária. Nesse caminho é impossível não ter alguns tropeços e para qualquer subida são necessárias algumas topadas. Que vamos cair é um fato, então vamos aprender a cair como Akashia.


1- If you can't love yourself...

HOW IN THE HELL YOU GONNA LOVE SOMEBODY ELSE? Essa é a lição mais importante que esse reality maravilhoso nos mostra, até porque, ele repete isso todo santo episódio. É meio o que falei nesse post aqui. Se você não se amar, colega, não tem como amar ninguém não. 

Can I get an Amen up in here?


Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

6 comentários:

  1. Ai meu Deus, fiquei completamente apaixonada por esse post e decidi procurar Ru Paul nesse momento! hahaha Até então eu não tinha assistido, porque não tenho TV a cabo e nem Netflix, mas vou dar um jeito. Tudo que você falou são as coisas mais simples e verdadeiras da vida. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Socorro Wanila você precisa descobrir as maravilhas desse reality!!!

      Excluir
  2. Eu adoro ficar vendo os gifs de Ru Paul no Tumblr UHAAHUA <3 não sou tão fã assim de assistir, mas saem umas ótimas perolas e geralmente, fica na cara que ser mulher é demais :) ou pelo menos esse nosso universo feminino mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, nem fala, Bessie! E acho essa série tão empoderadora, sabia? Sem contar que é incrível ver tanto glitter, pluma, paetê... HAHAHAHA ♥

      Excluir
  3. que coisa maravilhosa. preciso assistir isso de uma vezzzz

    ResponderExcluir

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.