23/04/15

"A Selena Gomez engordou" e o que temos a ver com isso?

Selana Gomez de biquíni

Fico realmente chateada quando o corpo de uma mulher, seja ela quem for, vira uma manchete. "Liv Tyler exibe celulite na praia", "Marina Ruy Barbosa coloca silicone", "Selena Gomez ganha uns quilinhos". É o tipo de coisa que me entristece profundamente. Me pergunto até quando a mulher vai ser rotulada por seu corpo, até quando gorda vai ser xingamento e magra elogio e, principalmente, o que temos a ver com o corpo de outra pessoa, seja ela pública ou não. Já falei uma vez sobre o caso da modelo Izabel Goulart de uma forma bem mais empática, mas aqui quero falar sobre empoderamento e o quanto é triste outra mulher subjugar outra por seus quilinhos de mais ou de menos. Vamos continuar com Selena Gomez como exemplo.

Quando Selena Gomez despontou nas revistas teens ela tinha apenas 15 anos. A maioria dos comentários feitos sobre a moça eram, justamente, sobre seu corpo e o fato dela ser "cabeçuda", dizendo de uma forma bem pejorativa. Com 15 anos, Selena Gomez era bem magrinha e tinha um cabelo alisado de uma forma que ele ficava "um tanto cheio", dando a impressão de que tinha uma cabeça desproporcional ao seu corpinho de menina. A menina estava longe de ser adulta e já era definida por um tipo físico que, é claro, estava em transição. Agora imagine você, com 15 anos (você com certeza sabe que ter 15 anos é um saco, um mar de insegurança e insatisfação), sendo chamada de feia e etc apenas por ser você? Parece duro, né? E imaginar (ou lembrar) que você fazia os mesmos comentários? É, eu entendo. 

Selena Gomez 15 anos

Selena começou a namorar com uns gatos hollywoodianos e isso parecia servir como motivo para que as pessoas se referissem a ela de forma pejorativa. Não quero me estender sobre o assunto "mulher que namora muito é vadia" porque isso daria (mais um) longo post e o foco, agora, é o corpo. Lembro-me perfeitamente de quando ela começou a aparecer na mídia pelo namoro com Justin Bieber e o quanto falavam mal do corpo dela. Na época, magra demais. Cabelo demais. Tudo demais. Isto é, para os críticos - seja eles quem forem. 

E aí hoje, alguns anos depois, a manchete é que ela exibiu quilinhos a mais. Que "engoliu o Bieber". Se essa inversão de situações não te fazem pensar, sugiro que reflita um pouquinho após ler esse post. A Selena Gomez exibiu um corpo normal. NORMAL. Não está gorda (bem longe disso), não está magra, está normal. Mas o normal é chato, não da para falar, né? Mudanças corporais não podem quando se trata de uma mulher. Se engordou é porque se descuidou, se emagreceu demais é porque está doente (ou, para algumas pessoas, está arrasando). Ler comentários desse tipo, vindo de homens, é quase compreensível, mas não consigo mais entender quando esses comentários negativos e ruins vêm de mulheres. Já falei aqui no blog sobre empoderamento e queria, muito, que todas as mulheres do mundo soubessem a importância dessa palavra. E de empoderar outra mulher, seja ela anônima ou não. 

Selena Gomez e seu biquíni polêmico

O caso da Selena me afetou em particular, justamente, por ver claramente que nunca a mulher está boa o suficiente. Sempre vai ter alguém apontando, sempre vai ter um comentário ruim no Instagram. Sempre vai ter uma manchete vagabunda e sempre vai ter uma ditadura que nós mesmas alimentamos, seja quando iniciamos uma dieta, seja quando ficamos triste ao ver os quilos correspondentes ao nosso peso exibidos na balança. Por Deus, NÃO! Nós precisamos é ter orgulho de nós mesmas, das marcas de estrias, dos quilos a mais ou de menos. E se você acha isso difícil, experimente começar deixando de ser crítica a respeito do corpo de outras mulheres. Muitas vezes atribuímos a outras pessoas as nossas próprias insatisfações. Experimente achar normal uma famosa que engordou, ou quando uma roupa a deixou mais ou menos magra. Experimente ver beleza nas coisas normais e a estranhar as coisas perfeitas. A perfeição não existe e somos provas disso.



Quando sentir dúvidas sobre fazer um comentário ruim sobre outra mulher, pense duas vezes. E na segunda, pense se gostaria de ouvir aquilo que está prestes a dizer. Aprenda que sobre corpo de outra pessoa não se comenta: nem positiva e nem negativamente. O nosso corpo é nosso e só quem tem direito de avaliá-lo somos nós. E se tiver dúvidas, sobre qualquer outra coisa na vida, deixo aqui uma frase linda de um livro igualmente lindo (que recomendo a leitura sempre que posso). 
"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.", Extraordinário.
Fica a dica. ♥

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!

8 comentários:

  1. Ótimo post, gatona!
    Eu sinceramente excluo essas coisas da minha mente, não vale a pena ficar revoltada/triste e etc com pessoas sem noção da vida. Mas a mídia é complicada, sempre querendo causar polêmica. Ao invés de falarem sobre crianças desnutridas porque passam fome para tentarem ajudá-las de alguma forma, ficam dando notícia a uma famosa que fez uma escolha infeliz de biquini e a desfavoreceu um pouco.
    Aliás, quem me dera ter um corpo igual ao dela <3

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Ju! Inclusive, aproveitando o assunto que você citou, está rolando uma campanha super legal (que agora não lembro o nome) sobre o jornalismo voltar suas atenções para o que realmente importa <3

      Excluir
  2. Ai Mi, que post lindooo! Super apoio e concordo com suas palavras e já estou me policiando há algum tempo. Essa frase é mesmo incrível, amoo <3 Amanhã é sábado! Graças, to sobrevivendo haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Ray! <3
      Depois me conta o que achou do filme! :D

      Excluir
  3. #leaveselenaalone :~
    acho que no momento que a gente entende isso, que a gente não tem nada a ver com o corpo/vida de ninguém, a gente meio que automaticamente para de falar esse tipo de coisa :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Cacá!
      Quanto mais nos aceitarmos, menos comentamos sobre corpo/pessoas alheias.

      Excluir
  4. Uma idade que eu tenho tristeza em lembrar, são os meus 15 anos. Eu era magra, mas em contrapartida tinha espinhas (muitas), cabelo crespo e cheio (que naquela época era sinal de cabelo ruim) e usava aparelho. Se eu usasse óculos seria dimais pra mim.
    Então, eu era zoada o tempo todo e NENHUMA das minhas "amigas" me defendiam. Sofri pra caramba, até um belo dia fui apresentada à uma ginecologista e me transformei.
    O auge da minha transformação foi eu encontrar um tempo depois um guri que era afim e me chamava de feia, na balada, e eu esnobei.
    MELHOR SENSAÇÃO !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAh "parece que o jogo virou, não é mesmo?"

      Excluir

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.