16/04/14

O momento "click" - como os casais mais fofos que conheço perceberam que estavam, de fato, apaixonados


A ideia desse post saiu da Pat e da Tati, que leram na Glamour algo sobre o "momento click": o momento em que a pessoa se dá conta de que está, de fato, apaixonada. O que seria apenas um relato dos namorados das duas, virou um post enorme e lindo com histórias lindas de casais lindos. Ufa! É tanta lindeza que eu não vou perder tempo fazendo uma introdução não. Dá play no vídeo abaixo para entrar no clima e vem morrer de amores por esses casais - e suas histórias.




Patrícia e Rodrigo
Namoram há dois anos e nove meses e são o típico casal de melhores amigos que se apaixonaram. Além de muito mimimi, os dois têm muita parceria e companheirismo. Ele é pé no chão, ela sonha demais. Ele é silêncio, ela barulho. Ele é libra, ela escorpião. Ele surpreende, ela é autêntica. Não concordam muito, mas se amam na mesma intensidade.


O momento da Pat: 
"O Rodrigo era meu melhor amigo há um tempo já. As pessoas viviam falando que eu estava afim dele e que rolava um super clima quando estávamos juntos, no entanto eu nunca acreditei. Sempre desconversava e falava que não tinha nada a ver. Mas a verdade é que eu não queria acreditar no que estava bem na minha frente. Eu realmente tinha me apaixonado. Com ele o papo fluía, o assunto não acabava nunca, as risadas eram as mais gostosas e a falta que ele fazia quando estava longe era imensa. Uma mistura de sentimentos que me fez admira-lo cada vez mais e querê-lo sempre por perto. Até que então um dia o beijo acabou acontecendo. Mas não sabia ao certo o que havia significado, foi confuso, atrapalhado, mas finalmente começamos a ficar. Até que depois de uns meses fomos a uma festa e eu sentia orgulho de estar de mãos dadas com ele, queria que todos vissem que nós estávamos juntos. E na hora que ele me beijava minha barriga gelava! Nesse momento eu tive a certeza que eu o amava e estava completamente apaixonada por ele. Hoje, quase três anos depois que tudo começou eu ainda sinto o mesmo click todas vez que a gente se encontra, é incrível poder se apaixonar pela mesma pessoa todas as vezes que ela me beija."

O momento do Rodrigo:
"Eu acho que não foi um click, e sim um conjunto deles. Um relacionamento é feito de momentos especiais e que vão levando você a ter diversos clicks até você ter a certeza de que aquela pessoa é a ideal e a que vai te fazer feliz por resto da vida! A Patrícia me deu "n" provas de que ela era mulher da minha vida e hoje eu tenho muito mais do que certeza de que a gente é pra sempre! Se tirassem ela de mim seria como se arrancassem parte do meu corpo da qual eu seria incapaz de viver sem. Então se eu tivesse que escolher o momento principal, seria esse, foi o click principal: quando eu percebi que aquela pessoa, não é só apenas quem eu queria do meu lado e sim aquela que eu preciso e não vivo sem!"

Camila e Tezin
Estão juntos há um ano e dois meses e no começo eram o típico casal que jamais daria certo, na opinião dos outros. Hoje eles perceberam que ao mesmo tempo em que parecem diferentes, são muito iguais. Aprenderam a respeitar e gostar das diferenças: um consegue suprir o que falta no outro. E tem o carinho, que é o sentimento mais forte entre ele. Tudo que um toma partido, automaticamente torna-se importante pro outro. Sabem que são muito livres e independentes, e é isso que os une. São um casal que foge de qualquer estereótipo que já viram ou viveram antes - e isso é incrível.


O momento da Camila:
"Eu trabalhava aos finais de semana e ele foi me buscar no trabalho, sem me avisar. Eu estava com fome e sono, aí ele foi até o supermercado para comprar comida e descobriu que eu sou vegetariana. Me levou pra casa dele e enquanto eu dormia, ele fez uma lasanha quatro queijos pra mim. Quando ele foi me acordar e estava com um sorrisão, eu tive certeza que estava apaixonada."

O momento do Tezin:
"No começo eu estava deixando rolar e num piscar de olhos eu estava muito apegado, me preocupando e pensando nela sem ter motivos... Tipo ouvir tal musica e lembrar dela, ou pensar em algo que algo que poderia agrada-la... Quando menos percebi, tava pedindo ela em namoro. Ela não queria namorar, ela mesmo me disse que só queria "me dar uns pegas", mas eu não via a hora de sair da faculdade e passar na casa dela só pra dar um beijo de boa noite, ou preparar algo de comer pra ela... Ela disse que ela se apaixonou por mim porque eu cozinho bem, ou seja, conquistei pela barriga e depois o coração."

Thaynara e Cristiano
Os dois namoram desde dezembro, mas a história deles é muito mais antiga que isso. Entre idas e vindas, o casal que as pessoas duvidavam que se formaria não só aconteceu como se consolida mais a cada dia. Ele encontrou nela a parceria que sempre procurou. Ela se deixou levar e acreditou em seu coração, mesmo quando outras pessoas diziam que não daria certo. São iguais, mas ao mesmo tempo, se completam. 


O momento da Thaynara:
"Olha, foi quando tentei me afastar dele, ano passado e totalmente sem sucesso, que eu percebi que estava apaixonada. Porque eu só conseguia pensar nele, no que ele estava fazendo. Acho que nessa tentativa eu realmente percebi que estava apaixonada e já nao conseguia ficar sem ele por perto."

O momento do Cristiano:
"O que pensei foi: "Fudeu to apaixonado". Ah cara, sempre achei ela estilosa, aí fui conhecendo, ela trocando ideia, fomos ficando e ficando e quando vi, esses "ficar" eram sempre. Nesse momento percebi que já era: eu estava apaixonado.

Nana e Débora
Essa história começou como um quebra cabeças previamente montado, não sabiam de nada e tudo já estava armado; compartilhavam a “melhor amiga” e o destino assim se fez. Há nove meses esse amor só faz crescer. “Consideramos justa, toda forma de amor”.


O momento da Nana:
"Ela me add no Instagram, depois no face e perguntou se não era muita “ousadia” me add no face... Começamos a conversar e a inteligência dela me cativou, o jeito delicado e ao mesmo tempo sedutor. Depois de alguns dias de conversa e uma certa resistência em vê-la, finalmente nos encontramos. Eu sabia que de certa forma seria impactante, mas não sabia o quanto... O primeiro encontro foi uma catástrofe completa e acabou não “dando em nada”, as conversas via inbox continuaram até um segundo encontro acontecer e dessa vez não teve jeito: eu e meu altíssimo grau de timidez fomos surpreendidos por um beijo roubado. O PIOR beijo de nossas vidas e no entanto eu me senti flutuando, meu coração acelerou, foi algo fora do normal, sentia o coração bater forte como nunca acontecera antes, ela abriu a porta do meu apartamento e se foi.. Eu fiquei ali, com a única sensação que me cabia no momento, eu quero ela pra sempre na minha vida."

O momento da Debora:
"Difícil falar sobre o exato momento em que me percebi apaixonada pela Lana! Foram sucessivos acontecimentos bem atrapalhados que foram me fazendo perceber! haha. Para céticos e desacreditados de plantão, o que vou falar agora é papo furado... Mas o primeiro frio na barriga veio quando minha melhor amiga, também amiga da Lana, me mostrou uma foto dela! Sim, apenas uma foto, mas foi ali que eu a reconheci! Desde então não a tirei mais da cabeça! Não foi "nossa, que gata! Quero ficar com ela!" NÃO! A sensação foi de perceber que havia algo muito bonito pra ser vivido com aquela da foto! Tempinho depois, começamos a conversar e tivemos nosso primeiro encontro! Eu estava ansiosa, queria vê-la logo! Mas foi um desastre! Lana estava estressada demais, agitada demais e a minha primeira impressão foi muito esquisita! Não gostei, não queria mais! "okay, tudo bem! não era pra ser!"! Achei que havia desencantado! Mas as coisas não acontecem de forma tão racional assim! Eu continuei pensando muito nela e continuamos a conversar! Até que veio o segundo encontro, quando aconteceu nosso primeiro beijo! Quando entrei no carro dela e a vi com aquela touquinha de lã (hahaha) numa noite MUITO fria do inverno passado, meu coração veio na boca! Conversa pra lá, conversa pra cá, numa ameaça de irmos embora de onde estávamos, eu não aguentei e a beijei! Um beijo muito muito atrapalhado e dessincronizado! Poderia ter sido o fim, mas foi o começo! Foi apenas UM beijo e depois, no caminho de volta pra casa recebi uma mensagem cheia de corações! Alí eu percebi o frio na barriga muito forte! Foi aí que nosso amor começou a ganhar forma e nunca mais morreu! Desde aquele dia, não existem outros olhos que eu queira fitar, senão estes castanhos, expressivos e LINDOS do meu amor! Eu a reconheci e me sinto apaixonada desde o primeiro instante que a vi e, por mais que os acontecimentos tenham tentado mudar o rumo das coisas, um coração nunca falha e hoje eu não me vejo mais longe da minha pequena! Não importa as circunstâncias e, mesmo que seja em meio ao caos, as almas se reconhecem e um coração sempre sabe identificar quando é amor!"

Tatiane e Bruno
"Esqueça as fronteiras, amar nunca foi um país" - Eu me chamo Antonio. 
Eles se esquecem de tudo. Esquecem de pagar conta. De comer. De ligar pra mãe que tá preocupada. De estudar. De arrumar a cama. Só não esquecem a saudade. O beijo. O cheiro. O olhar. O sorriso. O abraço. A voz. A distância, a fronteira, a saudade, a dor: é a história deles. Eles têm que lidar com isso. Lidar com poucas horas juntos e muitas ao telefone. Mas se Deus pôs assim, assim será e vão dar conta do recado! Ele bacharel em Direito que surta com os concursos da vida. Ela aspirante a jornalista que surta com o TCC e o medo de ser desempregada. Eles viveram o verão mais feliz de suas vidas juntos. Eles são completamente loucos um pelo outro. Juram amor, fidelidade, felicidade, família e vida um para o outro. Promessa de olho no olho seguida de abraço, beijo e mordida. "Porque quem ama morde", eis o lema. Eles não são. Eles é. Porque não são dois. Já são um pelo outro. Um pelos dois.


O momento da Tati: 
"A nossa história mistura medo, coragem e amor. Vocês vão entender o porquê, mas antes, é importante se colocarem no meu lugar por uns instantes. Nós nos conhecíamos ~apenas~ por redes sociais. Conversávamos, trocávamos likes no Facebook e no Instagram. Como nos conhecemos? Através do meu primo mais presente e próximo, que mora na mesma cidade que o boy. Não lembro (JURO) o motivo que me levou a adicioná-lo no face, mas foi-se. Quase um ano conversando virtualmente, mas nada "oh, conversamos todos os dias em horários quase definidos" - NÃO! Era bem de vez em nunca. Até que depois do aniversário e dos meus desejos de felicitações nos aproximamos e uma semana depois eu viajei pra S.J. do Rio Preto, visitar uma amiga, contei dessa aproximação inédita. E pensei: vai que, né? E foi mesmo. Um mês depois ele disse que viria até minha cidade me buscar (vale lembrar: somos de cidades e estados diferentes!) e me levar numa balada na cidade dele. Que eu não precisaria me preocupar, que no dia seguinte depois do almoço ele me traria de volta. Isso é ou não é de se morrer de medo? Mas tá, eu ~doida~ fui! E ainda bem que eu fui! O clique veio quinze dias depois. Não digam "uau, que rápida" porque esses trem de coração é emoção e não razão, portanto, não há data que prevê início. Enfim, o clique se deu enquanto eu tava na casa dos meus pais fazendo minha unha. Era sábado e a noite iríamos na formatura da Marina, estariam todas minhas amigas. Minha mãe que nem o conhecia ainda (óbvio) me perguntou que horas ele iria para Araçatuba, onde ficaria e comentou sobre o interesse e disposição em andar e gastar tanto em uma noite, a qual seria pra mim MUITO importante. Nesse minuto me veio o clique: "Puts, ela tem razão. O cara vai andar sei lá quantos quilometros, gastar sei lá quanto com hotel, vai numa formatura que ele não conhece ninguém além de mim. Fora as vezes que nos vimos anteriormente a essa, que foram quase assim: ele me buscou e me trouxe na portinha de casa. É esse o homem que eu quero pra minha vida.". Eu juro que naquele minuto passou um filme na minha cabeça, não ouvi o que minha mãe falou e eu quis, imediatamente, desconversar porque meus olhos enxeram d'água. O meu clique não demorou pra vir. E tenho a sensação de que quando a gente aperta um botão e dá-se o clique, é de fato um encosto apenas, mas comigo, parece que o botão continua pressionado. Que tudo ainda é mágico, apaixonante, com borboletas no estômago todas as vezes. Ah, o medo do Bruno: passou nos primeiros cinco minutos com ele. Hoje não há mais o que temer. Eu o amo. Deus nos abençoa todos os dias em nossas orações. Sou completamente apaixonada por ele. Eu sei que aquele clique estava certo. Ele é pra sempre.

O momento do Bruno: 
"A paixão me pegou", nunca entendi ao certo essa expressão, pensei que fosse imaginação ou invenção das pessoas e muito menos que um dia isso iria acontecer comigo, felizmente conheci a Tati e percebi que estava completamente enganado. A cada dia que passava eu ficava mais viciado e dependente desse amor, vício esse que faz eu desejar que as sextas feiras cheguem logo e que os domingos nunca existam (e não é pelo fato de ser final de semana). O meu "click" aconteceu em um dia normal, onde fomos passar o feriado em Presidente Prudente, sem imaginar que aquele dia seria um dos dias mais especiais pra mim, em um simples ato de espontaneidade, ouvi da boca dela a frase "eu te amo" pela primeira vez, naquele momento comprovei todas as minhas expectativas, e sim, o mais importante, achei a mulher da minha vida. Naquele exato momento veio o dever e a vontade de proteger e de amar ela pra sempre, de acordar todos os dias e falar que a amo. A Tati me trouxe a paz que sempre procurei, o amor que sempre esperei e em breve a família que sempre desejei.

-------------------------------------------------

Não sei vocês, mas estou com os olhos pesadíssimos tentando conter as lágrimas (gente, to na tpm, deem um desconto! hahaha) e estou encantada com as histórias. A maioria dos casais, tirando a Tati e a Pat, não viram a resposta do outro antes do post ser publicado, então, que esses textos relembrando o que foi um dos momentos mais importantes da vida de vocês, sirvam para lembrá-los que vocês estão vivendo uma história incrível - e que depois de hoje, ganharam muitas pessoas que não só admiram, como torcem para que continuem assim: nos encantando e enchendo nossos dias de amor. Porque amor é assim: contagioso

"O que era sonho se tornou realidade
De pouco em pouco a gente foi erguendo o nosso próprio trem,

Nossa Jerusalém,
Nosso mundo, nosso carrossel
Vai e vem vai
E não para nunca mais"


Acompanhe o MOBIC (e a Mih) nas redes-sociais!
Twitter  ♥ Facebook ♥ Instagram ♥ Youtube

2 comentários:

  1. Que post mais lindo, Mih! Também fiquei toda boba lendo, me identifiquei um pouco com o primeiro e o último casal. Eu sou uma romântica assumida, adoro ver esse povo que transborda amor. Fiquei encantada <3
    E muito amor pra todo mundo que participou desse post, que eles consigam encontrar no sorriso do outro um motivo para ser cada dia melhor.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Armaria, Miih, isso não se faz! :'(((((( (Sim, estou na tpm e super ignorei seu aviso de passar longe :P)
    Gente, que coisa mais linda todas essas histórias! To aqui com o coração super mole, mas cheio de alegria <3 É tão lindo ver que no meio de todos os céticos (que infelizmente são muitos hoje em dia), ainda tem gente que acredita assim no amor!
    Mil felicidades para todos os casais lindos que se ama de verdade (da reportagem e fora tb! haha).

    Ps: futuro amor, se você está lendo isso aqui, saiba que to procurando por você, viu? <3 beijos, seu lindo.

    Fueron Felices y Comieron Perdices

    ResponderExcluir

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.