26/02/13

Deixa eu Falar: Um texto contra a glamourização dos antidepressivos e dos remédios para dormir

Já faz um tempo que eu quero falar sobre isso em algum lugar. Eu acho essa "modinha das pílulas antidepressivas"  tão deprimente (desculpe o trocadilho) que ás vezes fico até desanimada em falar sobre isso. Acho que esse meu repúdio a essas coisas vem pelo fato de eu ter convivido, quando mais nova, com os "rivotrils" da vida. Não, graças a Deus eu nunca precisei tomar, mas uma pessoa próxima de mim tinha que fazer o uso dele para conseguir dormir. Minha mãe.



Sem querer fazer desse texto um drama mexicano, vou resumir os fatos: minha mãe se separou do meu pai quando eu tinha 8 anos e minha irmã mais nova 4. Ela não ganhava lá aquelas coisas e entrou em parafuso com a questão que pairou em sua mente "E agora? Como vou criar minhas filhas sozinha?". Minha mãe entrou em depressão. Começou a tomar remédios e, entre eles, o rivotril – que é o único que eu me lembro. Ela trabalhava o dia todo e fazia, por necessidade, o uso de antidepressivos.

E então eu vejo surgir a modinha rivotril. A artista bonitinha da TV legal posta no Twitter que precisa do seu rivotril porque está ansiosa. Logo, a menina que não consegue dormir porque vai pra Disney na semana que vem diz "Ai, cadê meu Rivotril?". A adolescente de 18 anos que acabou de ganhar um carro do pai, já conheceu vários países da Europa e mora sozinha na capital reclama: "Meu pai comprou um carro vermelho e eu disse que queria prata. Não há Rivotril que aguente!". E esse não foi um tweet inventado. Essa é a depressão da garota. O outro, adora se gabar do tanto de calmantes que usa. "Ai, vou precisar de meu rivotril hoje, maldita insônia". O motivo da insônia? Os filmes perturbadores que assiste antes de dormir e o café que adora contar que é viciado. Os motivos são tão fúteis que eu custo a acreditar. Você também vai. Coloca "Rivotril" no search do Twitter. Coloca "Dramin". Tenta "Lexotan" também. Agora você entende a gravidade do que estou falando.


Esse é o motivo pelo qual as pessoas tomam calmantes: ansiedade pela viagem, a insônia causada pelos filmes que assiste ou pelo relógio biológico zoado e o principal motivo: ser cool por fazer uso de calmantes. Eu não consigo entender, sinceramente, onde está o glamour em ter que tomar remédios para dormir, postar que faz uso de tarja preta. Existem pessoas que, por um motivo ou outro, realmente precisam tomar esses remédios. Foram ao médico, foram realmente diagnosticadas e, acredite, quem realmente precisa tomar, não gostaria de tomar de jeito nenhum e não vê a hora de poder se ver livre dele.

Hoje, graças a Deus, minha mãe não toma o rivotril. Aliás, ela tomou bem pouco, o que também agradeço. Ela tinha todos os motivos do mundo, mas ergueu a cabeça e resolveu que era mais forte que tudo aquilo. O que me entristece, de verdade, é pessoas se alegrarem (ou se passarem) de serem doentes e dependentes de um medicamento tão forte apenas para serem legais - aliás, quem foi o idiota que disse que isso é legal? Tá sem sono? Vai caminhar durante o dia que ele virá de noite. Tá ansioso? Toma um chá de erva cidreira e vai assistir Friends.Te garanto uma coisa: nadar contra essa corrente negativa é muito, mas muito mais cool.

* Eu citei Rivotril como antidepressivo quando, na verdade, se trata de ansiolítico. Erro meu, obrigada pela correção, @zorzanelli.

4 comentários:

  1. Um belo texto.

    A única responsável por isso, no meu ponto de vista é a vontade de chamar atenção e parecer diferente aos olhos do demais, ser cult ou o que for. Vão, com 18, 20 anos ou até menos sem entupir de remédios pesadíssimos sem a menor necessidade, apenas por não terem tido uma boa educação a respeito de valores de seus familiares, acha que qualquer coisa é uma depressão profunda. Imagina como vão estar aos 40?

    Outro fator importante a ser observado é: Como conseguem acesso a esses medicamentos?

    ResponderExcluir
  2. Exatamente. Eu só não consigo entender em como é "legal" chamar a atenção por algo tão negativo.

    Se você jogar os nomes dos remédios no search do Twitter, vai ver que muitos deles pegam os medicamentos escondidos dos pais. Além de tudo.

    ResponderExcluir
  3. Falou tudo Mi, eu entendo perfeitamente sua situação, passei por algo parecido e é o cumulo as pessoas usarem estes remedios pq o carro nao é prata e ai vai...

    ResponderExcluir
  4. Eu me indentifiquei muito com o texto, pois a minha mãe vive a mesma situação da sua.

    Mas há gente que realmente precisam desses medicamentos (o que claro não é o caso do post).

    ResponderExcluir

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.