16/10/12

Avenida Brasil é genial Sim!

Essa semana 'Avenida Brasil' chega a seu fim, e posso afirmar com certeza de que é um dos finais mais esperados de toda a teledramaturgia brasileira desde a década de 80. A história acabou atraindo pessoas que nunca acompanharam sequer uma novela na vida, e prende (muito) a atenção. E, numa jogada incrível, o autor conseguiu prender mais ainda o telespectador com o clássico "quem matou?", que é velho, mas nunca batido. Um dos maiores vilões da novela acabou sendo assassinado na quinta-feira passada, numa sequência digna de Hollywood e com um realismo que nunca se viu antes em novela nenhuma da Globo (logo depois que Nina acorda e olha pro corpo do Max, a câmera pega a cena toda de cima e é possível ver a cabeça do vilão massacrada pela enxada que o matou). Mas o motivo desse post é outro. Vou explicar porque é que 'Avenida Brasil' é genial, sim! Porque, infelizmente, mesmo com uma história tão bem montada, ainda existe o preconceito de ser uma 'novela'.


Porque é genial?
Desde que me entendo por gente, assisto novelas, e elas sempre tem a mesma história: mocinha se apaixona por mocinho e uma vilã que também ama o mocinho quer acabar com a graça dos dois. E o foco? É o amor, sempre. Tá em reunião importante, pensando no amor. Tá operando algum personagem, para e pensa no amor. 'Avenida Brasil' é bem diferente. Tem amor? Tem. Mas o foco principal é ainda mais forte, é a vingança. A novela, que começou no final de março, chegou sem grandes expectativas e sem criar nenhuma polêmica. O autor nunca chegou a falar "olha, se preparem porque essa novela vai ser incrível e revolucionária", e talvez acho que foi por isso que a novela deu tão certo. E não era pra ser assim. A Rede Globo fez uma pesquisa entre os telespectadores, e a classe que assiste à novelas prefere em sua grande maioria histórias onde tenha o casal que sofre até dar certo. O espaço do casal 'Jorginho e Nina' é bem pequeno, tanto que a grande dúvida agora na reta final não é o 'quem fica com quem', e sim quem matou o Max, quem é o grande vilão e qual o segredo da Mãe Lucinda.


É genial sim, porque os núcleos são bem divididos e as histórias bem distribuídas, e em alguns pontos até se cruzam. Fora as atuações (apesar d'eu achar que não tem NADA a ver a Debora Falabella de Nina que conquista todo mundo e aquela atriz que faz a Tessália tem menos expressões que a Kristen Stewart) que são ótimas. Tanto que não era pra terminar no dia 19, queriam que se estendesse por mais duas semanas, mas a Adriana Esteves (que faz a Carmem Lúcia DIVA) tá tão cansada e tão debilitada que pediu pra que não estendessem. É genial porque não tem ar de novela, não tem tratamento de imagem de novela e conseguiu prender um público que nenhuma outra novela conseguiu antes. Desde a semana passada, cerca de 70% dos televisores no Brasil estavam sintonizados na Globo, na faixa das 21h. No último capítulo, esse número só tende a crescer.


É genial, e eu sugiro que vocês assistam esse finalzinho de uma novela que marcou a história da TV.

 Texto por: Mariane Colantuono Mari é webdesigner, viciada em séries, blogueira desde criancinha e dona do Porra Elmo. Agora, também, é colaboradora do MOBIC.  A Mari vai falar de tudo um pouco, mas principalmente de músicas e séries. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.