18/09/12

Deixa eu falar: Eu quero (a minha) moda!

Uma vez, há um tempo, eu postei em um outro blog o fato de não ler blogs de moda. Nunca gostei de ver alguém me dizendo o que usar e como usar. Imaginar uma pessoa tendo uma espécie de poder e autoridade para definir o meu certo e errado ia completamente fora do que eu chamava de 'democracia fashion'. E isso acontecia antes dos looks do dia. De repente as meninas passaram a fotografar seus looks dos pés à cabeça e falar o que pode ou não pode em uma mistura de roupas. Misturar estampas? Só se for python + alguma estampa étnica. Eu digo isso não porque tenho alguma propriedade, digo isso porque é o meu gosto. Entendeu como é estranho?

Desde pequena sempre gostei de brincar com roupas e isso continuou com o decorrer dos tempos. É claro que eu tive uma época que adorava andar uniformizada como todo mundo, mas isso passa. Aqui na minha cidade, mesmo, todo mundo se veste igual - e eu falo sério! São pouquíssimas pessoas que se distinguem nesse meio. E quando você usa algo diferente do que todo mundo usa, você vira alvo de olhares. Um exemplo: eu sou apaixonada por saias rodadas meio sessentinha. Quando visto a minha fico me sentindo - e apesar de não ser nenhuma tendência, as pessoas elogiam e, mesmo que não elogiassem, eu estava me sentindo linda. Nunca encontro alguém com um look parecido, e posso falar? Amo isso! Mais um exemplo: Calça flare. Em 2006 eu só tinha calças boca-de-sino (por que mudaram o nome mesmo?) e de repente todo mundo mandou suas bocas-de-sino para a costureira fazê-las skinnys. Continuei com minhas bocas-de-sino (sempre adorei por ser magra e alta, me sentia poderosíssima!) até que não aguentei a pressão e minhas calças voltaram fininhas do ajuste com a costureira. E pra quê, mesmo? Pra ficar igual.


E o engraçado é que o contrário também acontece! E os sneakers? Todo mundo falou muito mal das botas ortopédicas (eu sou obrigada a confessar que adorei logo quando as vi, mas hoje não tenho mais vontade de usar) e hoje todo mundo ama e chama de peça coringa. E sua opinião própria, onde fica? E as marcas que são endeusadas pelos blogs? Vou ser apedrejada com esse comentário, mas vamos lá: não acho Schutz nada demais. Pronto, falei! Assim como toda grife, tem modelos lindos como também tem modelos que eu passo longe. Por que essa coisa com a marca? Meninas, onde está nossa opinião própria, o nosso querer?



80% das blogueiras "de moda" se esquecem que moda tem 32.432.476 vertentes que eu posso ser feliz seguindo uma e me rebelando contra as  32.432.475  restantes. Eu posso ser feliz colocando uma bandana na cabeça sem precisar me rotular. Posso ser feliz usando o que a moda nos dá, mas sem alguém precisar me dizer como fazer. Olhar composições prontas para ter uma inspiração - quem nunca fez isso? - é uma coisa, agora seguir como lei algo que uma pessoa que tem a mesma formação que você diz, por favor, né?


E blogueiras, não nos digam o que usar. Nos deixem felizes com nossas composições, nos deixem brincar com o que chamamos de moda. O que é legal pra mim, pode não ser pra você - e isso é o legal dessa coisa.

5 comentários:

  1. "E aí, vc usa porque curtiu o look ou por que segue exatamente o que sua blogueira favorita dita?"
    Nem um, nem outro, o dinheiro nosso de cada dia não permite que as 'tendências' sejam seguidas à risca. Rsrs E isso é bacana, porque com menos recursos a gente tem que ser mais criativa, e na minha opinião, criatividade no look vale muito mais do que estar na moda, usar marca, etc.

    ResponderExcluir
  2. Nunca fiquei tão feliz em ler um texto.
    Cara, as pessoas aderem a moda como se fosse uma vacina, cada época TODAS tomam a maldita vacina e quando você sai na rua parece um monte de soldado marchando.
    Gosto de moda rock, gosto de preto, couro, tachas e caveirinhas. De repente acordei e minha cidade inteira "parecia" o Rock'in Rio. Gerente de banco que usava saia bege com scarpin tá usando legging de couro e sneaker com rebite.
    Fico chateada porquê querendo ou não, pessoas usam uniformes. Pessoas de igreja usam aquelas roupas, gerentes de banco usam certas roupas e adolescentes de 16 anos usam o que querem.
    Hoje vejo senhoras de 50 anos usando camiseta de caveirinha e coturno pra ficar in, e não fica cara.
    Acho que cada pessoa tem um gosto próprio e devia enxergar isso toda vez que olha no espelho.
    O grande erro não está só nas "formadoras de opinião" da internet mas também em quem as segue. Poxa, ler blog é legal e tal, mas querer saber que creme a bendita usa, como usa, quanto pagou e onde comprou é puro fanatismo.
    Temos que apenas aprender, o que nos agrada, o que nos faz feliz, sem o menor medo de pagar uma de cafona por que antes cafona com estilo que maria vai com as outras fashionistas haha.
    Adorei o post cara!
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  3. O ataque às blogueiras esta subestimando a inteligência das leitoras de blog de moda. Não é porque blogueira X que tem quase meio milhão de seguidores posta um look do dia que AUTOMATICAMENTE todo mundo vai gostar e vai se matar pra ter aquelas peças.. A leitora pode curtir um look e outro não. Pode substituir uma Chanel por uma parecida da C&A. Se a pessoa chega a levar todas suas calças pra costureira para acompanhar uma tendência pode ser que ela realmente gostou da mudança e não exatamente que ela é escrava da moda. Se a gente seguisse só as dicas de moda, make etc da Vogue, Elle etc, a classe média ou até mesmo as mais pobres não teria o direito ou acesso à moda, pq a maioria dos produtos que eles fazem propaganda, custam uma fortuna! Deixa as blogueiras (e suas seguidoras) serem felizes postando seus looks do dia!! Mesmo não sendo bonito, ao menos vai criar uma senso critico nos demais (senso critico nesse caso: uso ou não)

    ResponderExcluir
  4. cara, eu concordo com tudo o que tu dissesste. eu sou consultora de imagem e quando eu converso com clientes eu nunca falo "você deve usar isso, e isso aqui não". eu falo sempre que é minha sugestão de a pessoa usar ou não tal coisa, mas no fim a decisão é sempre dela. a pessoa precisa exteriorizar a personalidade e seus gostos com a moda, e não apenas usar porque tem mais gente usando - de vez em quando até a gente faz isso, mas reúne ter gostado da peça com tentar algo diferente e sair da zona de conforto pra ver se nos identificamos. eu, há dois anos, dizia que nunca ia usar uma saia longa. tenho duas.

    ou seja, é mesmo uma expressão de quem a gente é, até quando a gente inventa de comprar uma coisa pra usar que nunca foi do nosso gosto, pra ver se a gente curte, e isso é sinal de uma pessoa que curte algum desafio, que curte experimentar coisas diferentes, e reflete na moda também. parabéns pelo teu texto!

    ResponderExcluir
  5. Sem palavras, disse tudo o que eu pensava.

    ResponderExcluir

MY OTHER BAG IS CHANEL © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.