Analisando Cage The Elephant

. 25/06/2012 .
Depois do sucesso da banda no festival Lollapalooza, você com certeza já ouviu falar da banda Cage The ElephantA banda dos irmãos Schultz teve seu primeiro álbum gravado em 2008 e já arrebatou milhares de fãs com seu som alternativo fortemente influenciado pelo punk. O blog Analisando a Música fez uma análise do álbum homônimo da banda, veja só!


Ficha técnica:
Banda: Cage The Elephant
Álbum: Cage The Elephant
Ano: 2008
Tempo: 36min27s
Gênero predominante: Alternative rock

Integrantes:
Matthew Schultz (voz)
Brad Schultz (guitarra base)
Lincoln Parish (guitarra solo)
Daniel Tichenor (baixo e voz)
Jared Champion (bateria)

Com dois álbuns de estúdio já gravados, a banda Cage The Elephant, formada pelos irmãos Schultz, se consolida aos poucos como uma das grandes no cenário do rock mundial. Lançado em 2008, o primeiro CD do grupo, de título homônimo, angariou milhares de fãs ao redor do mundo, com foco nos EUA (país de origem) e no Reino Unido. Um som sólido e alternativo, com influências do blues, do punk e até mesmo do grunge. Apesar de não conter solos quilométricos, as guitarras são bem trabalhadas, equilibrando-se com um baixo forte e marcante. Tanto as músicas mais agressivas como as mais tranqüilas transparecem a voluptuosidade ao ouvir as melodias. Letras com boa diversidade de temas, sempre com toques críticos, ácidos e irônicos. Neste ano, inclusive, o conjunto fez um show excelente no festival Lollapalooza Brasil, sendo considerada como uma das melhores apresentações, equiparando-se até mesmo a Foo Fighters e Arctic Monkeys. A energia transmitida pelos integrantes nos shows, principalmente por parte do vocal Matt Schultz, faz a diferença e agrega o público de forma surpreendente. As escolhidas para interpretação foram Ain’t No Rest For The Wicked e Free Love.

AIN’T NO REST FOR THE WICKED: A música mostra o retrato da sociedade atual. As pessoas, para conseguirem o que necessitam, acabam fazendo coisas que normalmente não fariam. Como a própria letra diz: “Dinheiro não dá em árvores” e “Nada nesse mundo é de graça”. Três personagens são os exemplos da canção: uma prostituta, um assaltante e um padre corrupto. A letra é cantada em ritmo acelerado, enquanto a melodia contrapõe certa calmaria nas estrofes e algo um pouco mais pesado nos refrãos.

FREE LOVE: Uma das músicas mais elétricas do disco. Devido ao agito e ânimo, transmite boa energia, sendo impossível ficar parado. E a composição combina inteiramente com a melodia. Fala sobre uma mulher que não consegue parar e que está com seus sentidos sempre a flor da pele. Tais características fazem com que ela seja apaixonante e que por isso fazer amor com ela é tão livre, como é descrito na música.




O blog Analisando a Música faz análise de álbuns e faixas de diversas bandas diferentes. Vale o click! ;)
Thanks, @HeitorrSilveira.
Depois do sucesso da banda no festival Lollapalooza, você com certeza já ouviu falar da banda Cage The ElephantA banda dos irmãos Schultz teve seu primeiro álbum gravado em 2008 e já arrebatou milhares de fãs com seu som alternativo fortemente influenciado pelo punk. O blog Analisando a Música fez uma análise do álbum homônimo da banda, veja só!


Ficha técnica:
Banda: Cage The Elephant
Álbum: Cage The Elephant
Ano: 2008
Tempo: 36min27s
Gênero predominante: Alternative rock

Integrantes:
Matthew Schultz (voz)
Brad Schultz (guitarra base)
Lincoln Parish (guitarra solo)
Daniel Tichenor (baixo e voz)
Jared Champion (bateria)

Com dois álbuns de estúdio já gravados, a banda Cage The Elephant, formada pelos irmãos Schultz, se consolida aos poucos como uma das grandes no cenário do rock mundial. Lançado em 2008, o primeiro CD do grupo, de título homônimo, angariou milhares de fãs ao redor do mundo, com foco nos EUA (país de origem) e no Reino Unido. Um som sólido e alternativo, com influências do blues, do punk e até mesmo do grunge. Apesar de não conter solos quilométricos, as guitarras são bem trabalhadas, equilibrando-se com um baixo forte e marcante. Tanto as músicas mais agressivas como as mais tranqüilas transparecem a voluptuosidade ao ouvir as melodias. Letras com boa diversidade de temas, sempre com toques críticos, ácidos e irônicos. Neste ano, inclusive, o conjunto fez um show excelente no festival Lollapalooza Brasil, sendo considerada como uma das melhores apresentações, equiparando-se até mesmo a Foo Fighters e Arctic Monkeys. A energia transmitida pelos integrantes nos shows, principalmente por parte do vocal Matt Schultz, faz a diferença e agrega o público de forma surpreendente. As escolhidas para interpretação foram Ain’t No Rest For The Wicked e Free Love.

AIN’T NO REST FOR THE WICKED: A música mostra o retrato da sociedade atual. As pessoas, para conseguirem o que necessitam, acabam fazendo coisas que normalmente não fariam. Como a própria letra diz: “Dinheiro não dá em árvores” e “Nada nesse mundo é de graça”. Três personagens são os exemplos da canção: uma prostituta, um assaltante e um padre corrupto. A letra é cantada em ritmo acelerado, enquanto a melodia contrapõe certa calmaria nas estrofes e algo um pouco mais pesado nos refrãos.

FREE LOVE: Uma das músicas mais elétricas do disco. Devido ao agito e ânimo, transmite boa energia, sendo impossível ficar parado. E a composição combina inteiramente com a melodia. Fala sobre uma mulher que não consegue parar e que está com seus sentidos sempre a flor da pele. Tais características fazem com que ela seja apaixonante e que por isso fazer amor com ela é tão livre, como é descrito na música.




O blog Analisando a Música faz análise de álbuns e faixas de diversas bandas diferentes. Vale o click! ;)
Thanks, @HeitorrSilveira.

Nenhum comentário

Postar um comentário

newer older Página inicial