Featured Slider

(un)finished

Assim que seu riso acabou, me deu um beijo no rosto. Eu tinha certeza de que sabia o que você sentia, da mesma forma que você achava que dominava todos os meus sentimentos. Meu olhar analisava cada traço que formava acima dos seus lábios enquanto fazia uma piada qualquer sobre o meu cabelo que, no momento, estava bagunçado por causa da garoa com vento. 

Eu sabia o que viria pela frente. Você também.

Viria a insegurança.

"Será que ele sente a mesma coisa?"
"Será que estamos na mesma sintonia?"


O abraço respondia. O encaixe, o fato de eu sentir você cheirando o meu cabelo me dizia que sim, era recíproco.

"O que vem depois?"
"Precisa ter um depois?"

As dúvidas surgiam sob neblinas que, em nada, pareciam assustadoras ou incômodas. Era a dúvida que nos envolvia e nos deixava ainda mais juntos. Não saber o que viria depois. Não saber qual seria a próxima vez ou como seria.

Aproveitávamos o momento ao máximo e de um jeito que eu nunca aproveitei com ninguém.
Era você, eu e a cidade cinza. Nós e a chuva forte que molhava os nossos sapatos. Eu, você e o guarda-chuva apertado.

"Dorme aqui"

Eu dormia.

"Dorme em casa, hoje"

Você vinha.

Nossos corpos se enroscavam e você sempre ria das minhas meias 7/8. Você insistia em dizer que eu ficava bonita, mesmo quando o look era composto por seu shorts de super-herói e uma camiseta de escola. Nosso riso era fácil e tudo era leve. Divergíamos em muitas coisas, nos encontrávamos no que importava.

"Desce"
"Desço"

Foi um beijinho, um abraço não tão apertado.
Um "se cuida" dito em meio ao apertão.
Era o último, mas não queria que fosse.

"Nos despedimos na sexta", eu disse.

Não nos despedimos.

E agora?
E o depois?

Ficou.
Ficou como a neblina que tanto nos envolveu por algum tempo.
Fina, presente e que esfria quando atravessa nosso rosto.

Tipo a saudade.

______________________________________________________________________________________________________

(Mais um texto velhinho e com bastante açúcar. Mas ah, vocês já sabem como esse blog funciona. Conclusões primeiro, textos depois haha). 

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Twitter // Facebook // Instagram // Grupo do Blog // Snap: mihbroccoli

Com que filme eu vou?

Finalmente um post mais neutro e sem sentimentaiada no blog, aeaeaeae! É que com essa onda de correntes no Facebook em que o intuito é responder perguntinhas - ou contar aleatoriedades -, eu resgatei esse post aqui diretamente do limbo dos rascunhos, atualizei o que precisava e cá estamos, não só com uma enquetezinha legal que você pode responder no seu blog ou Facebook também, como dicas bacaninhas de filmes. Eu vi essa lista no A Life Less Ordinary e no Salateando.

Um filme para assistir sozinho:

Trilogia do Antes (Before Sunrise, 1995, Before Sunset, 2004, Before Midnight, 2013, - Richard Linklater)



Eu sei que eu venho falando demais sobre esse filme - e eu juro que pensei que eu melhoraria, já que me apaixonei pela trilogia no início do ano. Mas, assumo publicamente que ainda não consegui parar de falar sobre a trilogia do antes e, mesmo eu achando os três filme sensacionais, acho que eles são bons para serem vistos sozinhos. Explico: é que eu não consigo ver filmes que tenham textos longos com outra pessoa porque fico encanada em questões, tipo "Será que elx está curtindo? Será que está achando muito chato? Ai, deveria ter escolhido outro filme!". Essa sequência é tão maravilhosa que tem que ser vista sozinha e com toda a atenção do mundo, então, encabeça a minha lista sim. Já falei sobre ela aqui.

Um filme para assistir quando está chovendo:

Comer, Rezar, Amar (Eat, Pray, Love, 2010, Ryan Murphy)



Coincidência ou não, sempre que vejo este filme, está chovendo. Me deu até uma nostalgia em lembrar de quando e eu minha mãe vimos ao filme com pipoca, cobertor e comentários pessoais a cada passagem. Aliás, tanto livro quanto filme já inspiraram alguns posts aqui no blog, como a resenha que fiz, há alguns anos, do livro, quanto um textão meio filosófico - sobre minha própria vida. Fica a diquinha de leitura entre uma pipoca e outra. 


Um filme para te fazer dormir:

Guardiões da Galáxia (Guardians Of The Galaxy, 2014, James Gun)



NÃO ME ENTENDAM MAL, eu amo Guardiões, vou defendê-lo e vocês podem ver mais sobre o assunto aqui, mas é que teve um tempo que fiquei tão viciada no filme que eu colocava antes de dormir para ir assistindo até o sono chegar, então, inevitavelmente o associo com essa categoria, mas também colocaria como "Filme para assistir com a família", "Filme para rir sozinho", "Filme viajado mas tão amor que você assiste 10x", etc. 

Um filme para assistir bêbado:

O Grande Lebowski (The Big Lebowski, 1998, Irmãos Cohen)



Acho que eu nem preciso explicar muito. O filme é muito bom e se você não estiver sóbrio, melhor. Foi o primeiro dos irmãos Cohen que assisti e sempre tinha ouvido falar muito bem, ou seja, fui com uma certa expectativa. Se ele tá aqui, não preciso dizer que elas foram atendidas e superadas, né? 


Um filme para passar enquanto você estiver fazendo outra coisa:

Crazy, Stupid, Love (2011, Glenn Ficarra e John Requa)



Já vi tanto esse filme que hoje eu o coloco nessa categoria sem peso na consciência, afinal, algumas frases foram decoradas e eu já falei muito sobre aqui no blog. Inclusive, dei alguns motivos para você assistir e se apaixonar, clique aqui para ler. 

Dois filmes para serem assistidos em sequência:

Kill Bill (Quentin Tarantino, Vol 1 2003, Vol 2 2004)


Até hoje não consigo escolher de qual dos dois eu gosto mais, por isso, sempre que assisto ao um, emendo com o dois e é sempre incrível. 

Um filme para assistir com o boy:

Qualquer um da Marvel


Justamente pelo motivo que falei lá no primeiro tópico. Meu gosto para filmes é meio específico e nunca o boy gosta - se gosta, é de um ou outro. Filme da Marvel não tem erro haha

Um filme para assistir com a sua mãe:

Bonequinha de Luxo (Breakfast At Tiffany's, 1961, Blake Edwards)


Sempre assistíamos juntas e, por incrível que pareça, fui eu quem apresentei os filmes da Audrey Hepburn pra ela. Tudo começou com esse, depois assistíamos My Fair Lady, Cinderela em Paris... É muito filme para apreciar com a mãezona - inclusive, vou aproveitar que estou de cama, em Araçatuba, e sugerir essa sessão delicinha. 


Um filme para assistir com o seu pai:

Homem de Ferro (Iron Man, 2008, John Favreau)




Tenho Iron Man como o melhor filme de super-heróis já feito, então, quando o apresentei para o meu pai, foi com essa frase. Não deu outra: logo emendamos o Iron Man 2 e o Thor, na sequência. Acho filme da Marvel muito de boa para assistir com quem não tem muito saco para filmes mais profundos e tal, então, sempre são opções gostosas e divertidas. Papy aprovou!

Esse é mais um post que estava perdido no limbo dos rascunhos e, aproveitando minha própria vontade de assistir alguma coisa, resolvei finalmente publicá-lo. Ajudei nesse sábado preguicinha? :)

______________________________________________________________________________________________________

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Twitter // Facebook // Instagram // Grupo do Blog // Snap: mihbroccoli

Links maravilhosos da semana #18


Essa semana foi bem esquisita pra mim, mas foi daquelas semanas em que os dias pareceram conversar entre si. Era como se as coisas combinassem de um jeito muito estranho e isso aconteceu, inclusive, com minhas leituras esporádicas. Esbarrei em textos com o mesmo tema, praticamente, que me deixaram pensativa por um bom tempo. Alguns eu quis ter escrito. Outros eu simplesmente agradeci por ter lido. Aquela coisa de coincidência maravilhosa que, na verdade, a gente sabe que não é nada casual haha. Bem, vou compartilhar com vocês o que li de mais legal nesses dias estranhos e espero que sirvam, para vocês, como serviu para mim. 

Cada pessoa é um mundo (Hrnmnk Blog) - Esse é um daqueles textos que eu li e gostaria de ter escrito. Fala, de um jeito supergostosinho, sobre como tudo, cada coisinha mínima do nosso dia a dia, interfere em nosso mundo e muda a nossa vida.


Fogo (Chez Noelle) - Esse, entretanto, eu poderia facilmente ter escrito, porque sério, cada linha escrita pela Stephanie parecia que era copiada dos meus diálogos internos.


Síndrome de Titus Andromedon (Pêssega D'Oro) - Mais um falando sobre relacionamentos, mas de uma forma gostosa que só Titus consegue. A autora fala sobre autossabotagens em relacionamentos amorosos - oi! - e como vimos isso retratado em Unbreakable Kimmy. Fica a dica!

OBS: demorei tanto pra publicar esse post que deu tempo de reunir outros posts e que fogem da temática dos anteriores. Mas não dá nada não: pelo menos temos um conteúdo maravilhoso reunido. ♥

12 coisas que toda mulher de vinte e poucos anos deve tentar fazer - O Fefo me marcou nesse post e eu amei tanto que não sei em o que falar. São coisas tão simples e banais que podem fazer toda uma diferença em nossa vida e rotina. Estou apaixonada e queria pregá-lo em todos os lugares do mundo.

Como Harry Potter pode ser usado para explicar Ciência Política - Eu amo o Nexo e acho ele um dos melhores jornais da atualidade. Se você ainda não conhece, por favor, faça esse favor a si mesmo - e estou falando isso como jornalista. Essa é uma das matérias incríveis que me faz dormir acreditando na profissão.

19 Documentários incríveis que você pode ver na Netflix agora - Mais uma listinha do Buzzfeed para te deixar mais antenado. São documentários realmente incríveis que estão a um clique de distância. Que tal aproveitar o fim de semana para finalmente dar um stop naquela série que você revê em looping?

E o que eu andei escrevendo por esses dias?

O que você precisa saber sobre Frida Kahlo - Falei um pouquinho sobre esse ícone fashion e de resistência que é a Frida, lá no blog da Kipling. Tá bem simples e para quem não conhece a história da mexicana. Fica a dica.

Freebie - Para planejar suas férias - Eu arrisco no design e, dessa vez, realmente gostei desse planner que fiz para você baixar pra organizar viagens.

5 coisas para deixar sua segunda-feira mais leve - Abra esse post na segunda-feira e, sério, seja mais feliz. Ele ficou muito bonitinho e tem diquinhas gostosinhas e levinhas para você usar não só na segunda-feira, como em qualquer dia em que o baixo-astral der as caras por aí.

5 rolês alternativos para fazer em Araçatuba - Porque por mais que eu fale mal de Araçatexas, ela tem meu coração, então, fiz uma listinha com meus lugares favoritos de lá para a galera que não aguenta mais os mesmos bares da vida.

____________________________________________________________________________________________________________________

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Twitter // Facebook // Instagram // Grupo do Blog // Snap: mihbroccoli

Droga

"Droga". 

Foi a primeira coisa que eu pensei quando senti aquela já quase esquecida sensação de frio na barriga, ao beijar o sorriso de alguém. Naquele segundo, eu percebi que tinha perdido a aposta que tinha feito comigo mesma, há um ano.

"Eu não vou mais escrever sobre ninguém", prometi.

Droga.

Quando percebi, eu já o via depois de um dia ruim, mesmo na chuva ou frio. Não me incomodava em dividir a minha cama. Puxava seu braço para mim no despertar de um pesadelo. Sorria boba com um beijo roubado. Me encaixava em seu abraço. Fazia planos curtos: exposição da Frida Kahlo; filme favorito no cinema; fim de semana junto; conhecer aquele bar com flores amarelas na sacada.


Droga.

Eu já não tinha mais vontade de manter outras conversas ou conhecer outras pessoas. Eu ouvia músicas românticas e inevitavelmente me lembrava dos seus olhinhos me fitando. Sem querer ou perceber, pensava nele em situações diversas: depois de assistir um vídeo engraçado, depois de ler uma notícia sobre crowdfunding e até quando o gato da vizinha cruzava o meu caminho até a porta.

Droga.

Queria contar sobre meu dia, saber sobre o seu. Dividir um chocolate e um travesseiro. Queria avisar que nossa banda favorita faria um show daqui a 6 meses e dizer que ele estava lindo com o novo corte de cabelo. Queria dizer que seu cheiro de tutti-frutti misturado com cigarro é melhor que qualquer perfume e que eu adoro sua camiseta da Tropicália.

"Eu não vou me apaixonar por ninguém", prometi, também.

Sou compreensiva demais e entendi que a promessa poderia ser quebrada quase um ano após ser feita. Afinal, quem eu queria enganar?

Eu me apaixonei.

O problema é que me apaixonei sozinha.

Droga.

*

Esse texto é meio velhinho e já até resultou em outro (chamado "Não era amor, era Fogo de Palha", que já foi compartilhado na minha newsletter). Preferi não sentir mais nadinha para poder postar, já que, mesmo eu tendo percebido que não era amor, esse texto é especial para mim. Sendo assim, compartilho com vocês.

Playlist: Para começar a semana

Fazia tempo que não tinha playlist linda pra gente aqui no blog, né? Eu confesso que esse meu vício continua tão ou mais forte quanto antes, mas é que meu critério para postá-las aqui no blog melhorou - eu acho - e, por isso, posto uma vez na vida e outra na morte haha. Essa aqui tá muito gostosinha e perfeita para começar a semana com o pé direito, como o nome já sugere. Estou ouvindo muito algumas musiquinhas específicas e se tem algo que elas estão fazendo, é me dando inspiraração, então, solta o play e vem comigo enfrentar mais uma semana! 




____________________________________________________________________________________________________________________

Curtiu o post? Então mostre seu amor e compartilhe! ♥
Twitter // Facebook // Instagram // Grupo do Blog // Snap: mihbroccoli